sábado, 24 de dezembro de 2011

Roger Agnelli ex- Vale entra firme no setor de infraestrutura


Deverá se chamar AGN a empresa que o financista Roger Agnelli está montando para atuar no setor de infraestrutura. Montada pelo advogado Fabio Spina, ela deverá ter um capital de R$ 500 milhões e operações divididas entre Rio de Janeiro e São Paulo. Na capital fluminense, a AGN constituirá um braço dirigido aos setores de logística e portos. A partir de São Paulo, onde será sediado o negócio, administrará investimentos em mineração, agricultura e biocombustíveis. A intenção, nesse caso, é elaborar um produto que possa ser usado como substituto do querosene de aviação, cujo preço está em franca disparada. Cogita-se que o querosene possa ser trocado por um derivado de cana-de-açúcar, pinhão-manso, capim-elefante ou de palma, cultivados no Brasil ou em países do leste africano. Agnelli e seus novos sócios estão criando também uma trading para negociar os produtos no exterior.Fonte/Epoca.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Salvatore Ferragamo to showcase its 2012 Resort Collection than at the Paradise Fund's black-tie benefit to aid St. Jude Children's Hospital



7:15 pm, Friday night. Flagler Museum, One Whitehall Way, Palm Beach. Where better for Salvatore Ferragamo to showcase its 2012 Resort Collection than at the Paradise Fund's black-tie benefit to aid St. Jude Children's Research Hospital.
Ferragamo sponsors Paradise Fund benefit for St. Jude Children's Research Hospital
By Augustus Mayhew

“We are excited to partner with The Paradise Fund on what we know will be the start of a long and prosperous relationship,” said Vincent Ottomanelli, president of Ferragamo USA, with a Palm Beach branch located on Worth Avenue for the past 25 years.

Now under the creative direction of Massimiliano Giornetti, this gala marks the first time Salvatore Ferragamo has underwritten a local charity event. Many of the Paradise Fund’s host committee and friends wore an array of selections from Ferragamo’s 2012 Resort Collection as well as vintage retro designs, making the evening benefiting St. Jude Children’s Research Hospital a kaleidoscope of smart style. And if Henry Flagler’s ghost was looking the other way when he saw the Paradise Casino’s gambling tables at Whitehall, he was probably soothed when he caught a glimpse of Bettina Anderson, Kristina McPherson, Tara Tobin, and Nancy Argott, among others, wearing Ferragamo’s latest patterns of elegant chic. While there was an estimated throng of more than 450, Frances Webster had the one winning raffle ticket for the $30,000 Ferragamo oversized white alligator tote bag with gold hardware.

The event’s chairmen were Kent Anderson, Loy Anderson, Chris DiSchino, and Hilary Jordan. The gala’s honorary chairs were Lourdes Fanjul, Talbott Maxey, and Tom Quick. The host committee members were David Adams, Bettina Anderson, Cara Coniglio, Nick Fouquet, Arvo Katajisto, Celerie Kemble, Wyatt Koch, Margaret Luce, Emily Mateer, Kristina and Brad McPherson, Elizabeth Meigher, India Paull, Dack Patriarca, Piper Quinn, Mike Rendina, Tracy and Matt Smith, Kari Talley, Tara Tobin, Liz Walker and Edward Swenson. This year’s event was produced by IT! Event Concierge & Studio, a production company anchored in Palm Beach and The Hamptons headed by Aime Dunstan. Amid her portfolio, Aime put together the recent hugely-successful Fashion’s Night Out at Neiman Marcus on Worth Avenue. When some Paradise Fund committee members realized a few of their members were missing, they began looking for them while others remained camera-ready.Fonte; New York Social Diary

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

'Menschen in Europe' para Caroline Grimaldi


fnte/Hola

El premio más querido para Carolina de Mónaco y una distinción curiosa para Andrea Casiraghi La princesa recibió de manos de Karl Lagerfeld el galardón 'Menschen in Europe' por su labor humanitaria con Amade, mientras su hijo mayor, Andrea Casiraghi, fue nombrado Caballero de la Cerveza como miembro de la orden 'Chope d'Or'



Casi todos los premios agradan, pero solo los más apreciados se guardan en el corazón. Como el galardón Menschen in Europe que Carolina de Mónaco recibió en Alemania en reconocimiento a su labor humanitaria con Amade (Asociación Mundial de los Amigos de la Infancia), la organización fundada por la princesa Gracia hace 50 años. Era especialmente querido para la princesa por tratarse de un premio a la gran causa de su madre (y desde hace 17 años a la suya también) y por ello el encargado de hacerle entrega de esta distinción en una ceremonia celebrada en la ciudad germana de Nassau no fue otro que su gran amigo el diseñador Karl Lagerfeld.

Y de su mano (y su aguja) la princesa Carolina volvió a reinar y ocupó el trono de la elegancia luciendo para la ocasión un traje negro, con complementos a tono, de Chanel, que adornó con tan solo un broche en la solapa. Pero la princesa no sólo tiene la belleza y la distinción de la recordada princesa Gracia, también ha heredado su solidaridad y se mostró muy orgullosa del legado materno: "Las amenazas a las que se enfrenta la infancia han cambiado considerablemente con el paso de los años. La guerra, la desnutrición, la crisis económica mundial, el analfabetismo, la pandemia de sida... Los desafíos han evolucionado, así como Amade, pero el mensaje fundamental sigue siendo el mismo que proclamó mi madre, su fundadora: los niños deben ser el centro de todos nuestros pensamientos e intereses".
Pero también expresó su deseo de mejora: "Si miramos atrás, hemos progresado y hemos ganado muchas batallas. Pero hay todavía combate fuera. Las cartas que estos niños recibieron en la mano de la vida fueron estrictamente arbitrarias. Nadie escoge. Ellos crecen huérfanos y, sin sus padres, no tienen acceso en un país roto por la guerra ni al cuidado, ni a la atención médica ni a la educación. Es nuestra responsabilidad tratar de mejorar el mundo, que heredarán nuestros niños", dijo durante su intervención.

Más curiosa, eso sí, fue la distinción al hijo mayor de la princesa Carolina, Andrea Casiraghi, que fue nombrado Caballero de la Cerveza como miembro de la orden Chope d'Or. Reconocimiento que celebró predicando con el ejemplo: bebiéndose una pinta.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Roberto Irineu Marinho com sua mulher Karen na inauguração da sede do Grupo da da Tv Globo em Lisboa



Cerimónia em Lisboa juntou pesos pesados da Comunicação Social, da Política e da Economia do Brasil e de Portugal.
A TV Globo inaugurou ontem a sede do grupo em Lisboa, numa cerimónia que contou com o presidente do grupo, Roberto Irineu Marinho, com o presidente da Impresa, Francisco Pinto Balsemão, o ministro Adjunto dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, Nuno Santos, director de informação da RTP, o presidente da PT, Henrique Granadeiro, e Ricardo Salgado, presidente do BES.
"Um dos objectivos é aumentar a produção de conteúdos em português, que consigam satisfazer os desejos dos portugueses e brasileiros que vivam aqui", declarou Ricardo Pereira, director da Globo para Portugal.Fonte/Correio da Manhã.

domingo, 4 de dezembro de 2011

Shaikh Mohammad Bin Rashid Al Maktoum Collection of Mohammad's poems set for release


Image Credit: Supplied
His Highness Shaikh Mohammad Bin Rashid Al Maktoum, Vice-President and Prime Minister of the UAE and Ruler of Dubai said that the Union has been 40 years of comprehensive national achievements for both the UAE and its citizens

Dubai: In a unique commemoration marking the 40th National Day of the UAE, the Government of Dubai Media Office is set to release a new book of poems titled 40 Poems from the Desert featuring selected poems of His Highness Shaikh Mohammad Bin Rashid Al Maktoum, Vice-President and Prime Minister of the UAE and Ruler of Dubai.

The diwan (poetry book) will be launched during a special ceremony on Sunday at the Ara Gallery; the ‘concept' art gallery located in Downtown Dubai, in the area of Burj Khalifa. A number of poetry and literary icons, prestigious cultural figures and media personnel will be attending the event, according to Dubai Media Office press release issued on Saturday.

Highlighting Shaikh Mohammad's keenness on supporting and nurturing Emirati talent, the diwan will include special paintings by Emirati artists who drew their inspiration from the poetry of Shaikh Mohammad.

The diwan also features poems that are published in a print edition for the first time. Ara Gallery will also host an exclusive art exhibition showcasing the work of Emirati artists whose paintings were featured in the diwan.Fonte/ Gulfnews)

Quarto de Milha: potros em crescimento



Sobreanos pastam em grupo num rancho do Colorado.

As melhores pastagens para cavalos em crescimento é uma mistura de leguminosas e capim.

É primavera, e o aguardado potrinho do ano passado agora é um desenvolvido sobreano. Já não depende de sua mãe para a maioria de suas necessidades nutricionais. Já se vale por si só.

"É um dos períodos de crescimento mais rápidos dos cavalos" fala Sarah Ralston, VMD, PhD, uma professora especializada em nutrição equina na Rutgers University.

"Êles não crescem tão rápido como quando foram desmamados ou potrinhos, porém continuam aumentando significativamente em pêso e em altura. Como tudo o que cresce rapidamente, sem que se administre nutrientes adequados, existe um grande perigo de que não se desenvolvam corretamente".

Para os 12 meses de idade, o cavalo Quarto de Milha, em média, terá atingido 90% de seu tamanho e 66% de seu pêso adulto. Sem dúvida, os sobreanos não são cavalos adultos e não devem ser alimentados como se o fôssem.

"A diferença entre um sobreano e um cavalo adulto é simples :- os sobreanos continuam crescendo" falou Pete Gibbs PhD especializado em cavalos da Texas A&M Extension."

Em comparação com cavalos adultos, êles necessitam de quantidade apropriadas de proteínas específicas e minerais".

O mais importante na dieta do sobreano é a matéria prima para a formação de seus ossos- proteínas, cálcio, fósforo e minerais (necessários em maior ou menor proporção porém imprescidíveis para o organismo).

Porém nem todos os sobreanos são iguais.Os jovens que se encontram em preparação ou em treinamento têm diferentes necessidades nutricionais em comparação com àqueles que estão pastando em liberdade.

" Os cavalos de sobreano podem obter a maioria de suas necessidades nutricionais para um crescimento moderado nas forragens sempre e quando estiverem pastando diariamente por 15 horas ou mais em uma boa pastagem ou se oferece feno de boa qualidade" disse Gibbs.

"Sem dúvida, os sobreanos com pouco condicionamento físico ou com pouco exercício necessitam de uma combinação de fibra e concentrado, independente do seu crescimento rápido ou moderado.

E se queremos ter um crescimento rápido com alta qualidade, é necessário que o alimento concentrado seja balanceado com todos esses fatores a serem considerados, é compreensível o porquê da confusão quando se procura estabelecer um programa adequado de alimentação para os sobreanos. Para auxiliar a resolver esta questão, Ralston e Gibbs dão seus conselhos.


A alimentação de sobreanos com feno disponível a toda hora funciona bem, e deve
ser da mais alta qualidade e conter uma mistura meio a meio de leguminosa e capim.
ser da mais alta qualidade e conter uma mistura meio a meio de leguminosa e capim.

A forragem é a peça principal na dieta de um sobreano, que deve ser alimentado da melhor maneira possível.
"Coloque seu dinheiro no feno", disse Ralston."Se tem um feno de boa qualidade, significa que 14 a 16% de proteína com um bom balanço mineral, não será necessário suplementação"

A melhor forragem são as leguminosas ou uma mistura de leguminosas e feno em partes iguais.

" Não há dúvida que as leguminosas, como a alfafa parecem dar aos jovens mais disposição uma pelagem melhor e isto é fácil explicar pela diferente composição entre os nutrientes comparados aos pastos de feno", disse Gibbs.

"Pesquisas realizadas aqui na Texas A&M University comnpararam a digestão de diferentes qualidades e tipos de feno, e em resumo o feno de alfafa de boa qualidade é mais digerível que o pasto de feno de média qualidade".

Um bom feno de alfafa tem, em média 12Mcal de energia digerível por libra de pêso, não obstante o feno de Timothy tem somente 0,6 Mcal de energia digerível por libra. Também o feno cortado em suas fases mais jovens é o melhor para se alimentar devido ao seu alto teor energético e proteíco, somando-se a baixa quantidade de lignina , que não é digerível.

"Se o feno é adequado, pode-se obter um crescimento com um mínimo concentrado", conta Ralston.

"Porém o ponto fundamental, se um sobreano está sendo alimentado com feno, é que êle necessitará de uma maior concentração de proteína e cálcio em sua dieta, isto porque o pasto tem concentração menor de proteína e cálcio".
Ralston e Gibbs enfatizam que o melhor é analisar o feno para se saber sua composição nutricional.

"Invista seu dinheiro em análises para que se conheça o que está se obtendo, especialmente antes de agregar suplimentos à dieta dos sobreanos"disse Ralston

Porém nem sempre é fácil alimentar com feno de alta qualidade de maneira constante.
"Se um haras se prepara para alimentar bem todos os seus cavalos jovens com feno de boa qualidade, durante todo o ano, funciona muito bem" disse Gibbs.

"Porém quando o haras tem que mudar o tipo de feno várias vezes ao ano, pode haver uma alteração drástica nos nutrientes que como reação, altera a taxa de crescimento dos sobreanos".

Uma opção para manter uma consistência nutricional, é alimentar com partes de feno ou alimento completo.

"Sempre e quando for um fardo a base de alfafa , estará bem", disse Ralston."Fardos que tenham uma mistura de Thimoty/alfafa funcionam e podem ter o alimento disponível a toda hora ao animal, porém os fardos somente de alfafa devem ser administrados em porçoes controladas para evitar um aumento de pêso.

"Também ao fato dos cavalos poderem comer rapidamente, e passarão a ter longos períodos sem ter o que mastigar e assim adquirirem comportamento de " térmitas", comendo madeira que encontram em seu habitat, para compensar a falta do tempo de mastigação".

Concentrados

Peso (Kg) Aumento
Diário (Kg) Energia
digestiva (Mcal) Proteina
Bruta (Kg) Lisina (G) Cálcio
(G) Fósforo
(G) Magnésio
(G) Potássio
(G) Vitamina
A(103IU)
Sobreano (12 meses)
Crescimento Moderado 350 .50 18.9 1.90 36 29 16 5.5 17.8 15
Crescimento Rápido 350 .65 21.3 2.1 40 34 19 5.7 18.2 15
Sobreano (12 meses)
Em treinamento 400 .35 19.8 2.0 38 27 15 6.4 21.1 18
Sem treinamento 400 .35 26.5 1.195 2.6 36 20 8.6 28.2 18

Tabela nutricional

A alimentação própria para sobreanos é primordial para um bom desenvolvimento.

Quando se adiciona o alimento concentrado, avalie a dieta integral do sobreano . Isto significa olhar à frente da percentagem proteíca na dieta.

Embora a proteína seja importante - pouca ou em demasia , pode ocasionar problemas de saúde - uma dieta deve conter todos os minerais e vitaminas essenciais a serem oferecidos aos sobreanos para um crescimento adequado.

"Não se oriente apenas pelo teor proteico", disse Ralston"

O que precisa é alimentar com um concentrado formulado para o crescimento".

As necessidades médias de um sobreano são de 12 a 16% de proteína bruta e o proporcional teor de vitamina A, magnésio, potássio, lisina, selenium, cobre, zinco, cálcio e fósforo.

"Uma boa regra é 14 a 16% de proteína mais 0,8% de cálcio e entre 0,4 a 0,6% de fósforo porque é sempre melhor mais cálcio que fósforo" disse Ralston

Várias fábricas têm desenvolvido alimentos concentrados objetivando os sobreanos. Cada uma delas recomenda quantidades adequadas de macro e micro minerais igual a taxa de gordura e vitaminas solúveis em água.

"Êstes alimentos bem balanceados estão programados para satisfazer as necessidades nutricionais com a finalidade de obter um desenvolvimento saudável para os animais nessa fase de crescimento" disse Gibbs.

"Vale a pena considerar os alimentos balanceados já que isso significa que alguém se preocupou em formular o alimento para garantir que contenha os nutrientes necessários relativos às calorias dêsse alimento".
Alguns concentrados também são formulados levando em conta forragens específicas.

Se temos um sobreano a pasto de capim, devemos administrar uma fórmula que tenha mais proteína e cálcio, pois o pasto de capim tem muito pouco dêsse componentes. Porém se tivermos um sobreano alimentando-se com feno de alfafa, podemos suplementar com uma fórmula que não tenha tanta proteína e cálcio" disse Ralston

"Várias fábricas estão visando formular rações para complementar o feno que se alimenta e eu acredito que seja uma maneira saudável. Porém temos que lembrar que se estamos dando alfafa para um sobreano que está recebendo concentrado para pasto de feno, estamos desbalanceando a nutrição"
Muitos proprietários preferem alimentar seus sobreanos somente com aveia.Sem dúvida, enfoca Gibbs, que esta não é uma dieta balanceada.

"A aveia é deficiente em lisina e quando se fornece com feno de alfafa, os sobreanos, como regra têm uma falta de 5 a 10% em aminoácidos essenciais para o desenvolvimento", disse êle.

Num estudo realizado na Texas A&M, um lote de sobreanos foi alimentado com aveia e feno de alfafa, em comparação com outro grupo que se forneceu concentrado balanceado com a mesma quantidade de feno de alfafa.

"Em ambos os grupos comendo a mesma quantidade de calorias diariamente, os sobreanos alimentados com aveia obtiveram o dobro de gordura em comparação com àquêles alimentados com a dieta balanceada que tiveram mais altura e melhor formação óssea", disse Gibbs.

" A razão é muito simples - a falta de nutrientes necessários para promover o crescimento, êles depositaram gordura e aumentaram de pêso. Assim quando se exige um exercício forçado, alguns desses sobreanos estarão formando seu esqueleto em um sistema que não está recebendo todos os componentes necessários para um bom desenvolvimento esquelético".

Para cavalos em crescimento existem produtos disponíveis para balancear uma dieta a base de aveia.Sem dúvida, Gibbs e Ralston aconselham aos criadores serem cuidadosos quando adicionar suplementos.

"Poderemos correr sérios riscos de obter excesso ou intoxicação se não conhecermos o que está acontecendo com a dieta dos cavalos naquele momento", disse Ralston

Antes de se adicionar um suplemento, verifique se atende as necessidades do sobreano.

"O mundo do cavalo está cheio de suplementos que afirmam atingir tudo o que imaginamos", disse Gibbs.Entretanto alguns dos suplementos podem na realidade ser benéficos, mas muitos nunca foram analisados sob sua eficácia. Não se sabe de qualquer maneira,se isto faz alguma diferença ".

Problemas de Saúde

Mesmo que as enfermidades ortopédicas do desenvolvimento (EOD) em animais jovens se originem devido a múltiplas causas como hereditárias ou exercícios, a dieta e desequilíbrios nutricionais podem desenvolver papeis importantes. As complicações inerentes a EOD, podem ser epifisites, as osteocondrites, e as arterites juvenis, entre outras desordens.

Na década de 70, acreditava-se que o uso excessivo de proteína era a causa, porém esta teoria foi descartada.
"Ao diminuir a quantidade de protéína não melhorará o crescimento ósseo e , na realidade pode ser maléfica", conta Ralston. "Por outro lado , o sobrealimentar com energia - mais de 100% das recomendações da National Research Council - podem causar problemas, em especial se a quantidade de minerais administrada não for aumentada ao mesmo tempo".

Ralston tem a teoria de que o fornecer carbohidratos especialmente quando se mistura com minerais desequilibrados e excesso de energia, é o fator excencial para desencadear EOD.

Êstes fatôres podem causar mineralizações dos ossos anormais e incorretas, que se traduzem em extremidades com propensão a defeitos do desenvolvimento", disse ela.

A dieta deve ser balanceada para atingir uma correta saúde músculoesquelética.
"Uma má nutrição inclui tanto a subalimentação como a superalimentação de nutrientes", disse Ralston. "O Subalimentar atrofiará o cavalo em crescimento e aumenatará o risco de enfermidades. O Sobrealimentar, especialmente com calorias e suplementos, tem o potencial de causar mal permanente na extremidade e ter repercuções metabólicas".

Ralston pensa que o sobrealimentar com grãos ricos em carbohidratos, como o alimento rico em açucar pode levar a um cavalo jovem ao atingir a fase adulta com síndrome metabólica equina, ou insulinoresistência.

"Aquelas farinhas e açúcares se digerem rapidamente no intestino delgado, causando um aumento da glicose no sangue, o que gera um aumento na produção de insulina", disse ela.

"Quando êles estão acostumados com uma ração que tem grande quantidade de farinha e açúcar, por alguma razão suas células se tornam menos sensíveis a ação da insulina, necessitando de mais insulina para liberar a mesma quantidade de glicose".
A presença de altos níveis de insulina interfere com os hormônios do crescimento.

"É melhor evitar-se tanto os altos como os baixos niveis de glicose/insulina", disse Ralston."Porisso trate de não alimentar com alimento doce que tenha grande quantidade de melaço".

Fornecimento Alimentar

Uma das melhores práticas no fornecimento de alimento aos sobreanos é aumentar o fornecimento de nutrientes entre as rações.

"Pesquisas aqui na Texas A&M há dez anos atrás, descobriram a útil informação sobre a maximização na absorção dos nutrientes", disse Gibbs. "Existe um limite, por exemplo, para a absorção de proteínas, e a melhor maneira de maximizar essa absorção, é alimentar com menor volume de ração em mais vêzes que muita comida poucas vêzes".

A maioria dos sobreanos recebem grandes quantidades de alimento concentrado duas vêzes ao dia.Gibbs, sem dúvida recomenda aumentar essa mesma quantidade de comida em três ou quatro vêzes.

"Não se trata de mais alimento, mas sim de mais vêzes da mesma comida", disse êle. Depois é importante manter o intervalo entre as refeições o mais regular possível.

"Tem sentido que intervalos de tempo iguais entre as refeições proporcionarão um todo", disse Gibbs." Se eu estava alimentando os sobreanos 3 vêzes ao dia, procuraria fazer intervalo de 8 horas entre as refeições. Porém nem todos os sobreanos são iguais.

Alguns jovens vivem a vida despreocupada de cavalo em liberdade nos pastos até a idade de 2 ou 3 anos, ao invés de que outros estão estabulados para serem preparados para uma prova ou leilão. E também aqueles animais maduros que entram em treinamento para as carreiras.

É por isso que o programa de alimentação de um animal deve ser adaptado para as necessidade de cada um.

Manutenção

Durante a primavera e o verão, uma mistura boa de pastagem e leguminosas e feno, pode ser tudo que um sobreano necessita para um crescimento regular. Entretanto a forragem deve ser analisada para assegurar-se que está satisfazendo todas as suas necessidades nutricionais.

O aumento de pêso médio diário de um sobreano é de l a l,25 libras (450 a 550 gramas) até os 18 meses de idade.
"Quem os quer fracos como um palito ?", disse Ralston.

Queremos uma figura esbelta, delgada onde não se possa ver suas costelas mas apenas sentí-las. Isso é o ideal".

No caso de um sobreano que obtém a maioria de suas necessidade de um pasto, o proprietário deve assegurar-se de que há suficiente pasto para manter uma dieta apropriada.

Um sobreano necessita de 25 a 35 kg de matéria sêca para cada 45 kg de pêso vivo, o que equivale em uma pastagem de qualidade que cresce ativamente a uma taxa de 18 animais por alqueire.

"Existem vários estudos da Texas A&M que demonstram que os sobreanos podem crescer a uma taxas moderada somente com pastagem assistida", disse Gibbs

"Um sobreano pastando por cêrca de 15 horas por dia ganhará aproximadamente meio quilo se tiver acesso a uma pastagem de boa qualidade. Os criadores que não tiverem pressa no desenvolvimento do sobreano podem utilizar uma variedade de bermuda consorciada com pastagens de inverno, para assim dispor de boa pastagem o ano todo".

Sem dúvida, durante o calor do verão ou uma sêca, a pastagem pode alterar e perder seu valor nutricional. Uma pastagem pobre pode alterar a taxa de crescimento de um sobreano. Aí é quando sua dieta deve ser suplementada com feno de qualidade e concentrados.


Um sobreano solto em pastagem de qualidade por aproximadamente
15 horas por dia ganhará aproximadamente 500 gramas por dia.

Crescimento rápido

Quando se trata de um sobreano que está sendo preparado fisicamente para uma prova ou um leilão, o tamanho é importante.

"Pesquisas mostram que os sobreanos de melhor venda são os grandes", disse Gibbs."

Também, o crescimento e desenvolvimento rápidos são muito importantes para os supostos ganhadores em conformação e sobreanos em treinamento para corrida. Por êsse motivo, muitos proprietários de cavalos se dão conta que o potencial do mercado ou desempenho dos cavalos jovens está relacionado diretamente com o desenvolvimento precoce.

A taxa de crescimento de cavalos jovens pode ser manipulada com nutrição, porém o programa alimentar deve ser sofisticado.

"Para crescimento rápido, os sobreanos necessitam uma proporção adequada de concentrado e feno, e o programa de alimentação necessita ser cuidadosamente preparado para atender as necessidades dos nutrientes adicionais que os sobreanos requerem quando crescem rápido ou trabalham forte", disse Gibbs.

Muitos proprietários querendo estimular o crescimento rápido adicionam aos concentrados óleos ou aveia.Sem duvida não são necessáriamente saudáveis nutricionalmente, podem até tornar um cavalo gordo ao invés de produzir uma boa estrutura muscular e ossos fortes.

"A adição de óleos ou suplementos gordurosos para animais sobreanos, em média a taxa de duas vêzes ao dia, somará grande quantidade de calorias porém não adicionará para a formação dos ossos". Disse Ralston.

"Existe uma evidência crescente e se pensa obter aos sobreanos gordos não é o melhor para eles. É colocar uma sobre carga e uma tensão maior àquelas extremidades em crescimento. Pode criar uma disposição a tolerância a insulina e pode levar a problemas de desenvolvimento causados por excesso de pêso nas extremidades jovens".
O pior que se pode fazer a um sobreano é não permitir que se exercite.

"O excesso de exercício pode causar problemas, mas a falta destes pode afetar seriamente o desenvolvimento do sobreano", disse Ralston. " Se deixamos um sobreano prêso e solta-lo uma vez ao dia por 15 minutos, não terá o desenvolvimento que tería se soltasse para correr em liberdade".

Em treinamento

O exercício não é mal, porém para um animal sob exercício intenso ou treinamento as necessidades nutricionais são maiores.

"O exercício é um sinal para os ossos moldarem-se, e somente podem tornar-se mais fortes se têm os nutrientes suficientes para formar o tecido ósseo", disse Gibbs.

Em apartação e rédeas, onde o tamanho não é importante, a estrutura óssea é. Muitos desses animais jovens entram tardiamente em rigorosos programas de treinamento quando o comprometimento da integridade da estrutura óssea é uma verdadeira preocupação.

Um estudo realizado na Texas A & M com sobreanos formados mostrou que 35% de adição nas necessiadades de cálcio e fósforo, e a necessidade de magnésio foi quase o dôbro da inicialmente estimada.

"Porém a melhor maneira de satisfazer as necessidades minerais é fornecendo alimento com formulação para cavalos, em vez administrar os minerais individualmente como adição ao alimento", disse Gibbs.
Ralston está de acordo.

"Os maiores êrros que temos visto é quando os potros são colocados em treinamento para corridas, e de imediato são alimentados com formulação para cavalos de corrida, que não está programada para cavalos jovens em crescimento, disse ela. "Êles necessitam manter alta absorção de cálcio, fósforoe minerais".

O passo seguinte

Criar um cavalo jovem saudavel e competitivo para a criação de hoje requer um cuidadoso programa de alimentação.
A medida que o sobreano atinge os 2 anos de idade, já terá perdido a característica de jovens e aparentará fisicamente um cavalo adulto. Terá atingido a maior parte de seu crescimento em altura e comprimento, continuará adquirindo sua cobertura muscular. Suas necessidades nutricionais começarão a nivelar-se com aquelas de um animal adulto.

E se uma dieta adequada e exercícios tenham sido administrados, com um pouco de sorte, êle cumprirá seu destino de tornar-se um campeão para o qual foi criado.
FONTE
REVISTA THE AMERICAN QUARTER HORSE RACING JOURNAL

sábado, 3 de dezembro de 2011

Queen Elisabeth in Jeddah :"Our Water, Our life"

M. Ghalayani, chairman of BMG Foundation, receives a gift from Britain’s Queen Elizabeth II.

JEDDAH: Saudi students and their counterparts from other Gulf states are being asked to come up with ideas to raise awareness about the need to save water in the region.

A competition is planned to find the best ideas and winners will head to the UK to see a polo match attended by Britain’s Queen Elizabeth II.

The competition is part of a water conservation campaign by the Saudi-based BMG Foundation. Entitled “Our Water, Our Life,” the campaign hopes to encourage sustainable water consumption in Arab households. It also aims to draw Arab youth into raising awareness within their communities of the need to conserve water resources.

The competition is looking for university students from the GCC to submit the most innovative, cost-efficient and creative awareness campaign to inspire households how to save water.

The BMG Foundation says it will tour all GCC capitals and meet with university students, providing them with details of the competition.

As well as the polo match, the winners will also be invited to attend a classical music concert.

The foundation’s website — www.bmgfoundation.com — has a short documentary which, it says, presents “shocking” statistics regarding water scarcity in the Arab world. It also presents ways in which water can be saved.

The announcement of the new competition follows fast on the heals of a related photographic contest entitled “Water in Arabia” organized by the foundation. Over 400 Saudi photographers submitted entries before the deadline of Nov. 22.

Ten winners are to be announced at a gala dinner this Monday at the Jeddah Hilton.

The event is part of the Saudi Water and Power Week, an annual gathering of the leading international companies in the water and power industry.

The winning photos will be auctioned at the event, sponsored by Nestle Waters, Al Turki Group, Tamer Group, Saudi Research and Marketing Group, Veolia Water, Al Joman, AkarOne, BTL, BSF Capital, Evonik Industries, CPC and others.
Fonte/ Arab News.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Chocolate Rocket by Fernando e Karla Machado- Haras São Francisco



Fernando Machado
Grade 1 Sire The Chocolate Rocket to Brazil

ITAPETININGA, SP—NOVEMBER 21, 2011—Grade 1 finalist and grade 1 sire The Chocolate Rocket has been purchased by Fernando and Karla Machado and will stand at Genetic Jump, Ltda, near Itapetininga, San Paulo, Brazil. His fee will the $2,500 (R$ 5,000.00 (Brazil Reais).
The son of leading sire Corona Cartel has sired six winners from 14 starters including...

Boaz Mazor , estilo de vida em Manhattan



Boaz Mazor has worked for Oscar de la Renta for forty years, having now earned that wonderful “At Large” title (although technically he is a vice-president) and this is one of those conversations that made us feel we had met someone who really relishes and celebrates life. He must have his demons because he has depth, but he is an unapologetic maximalist and we loved the exuberance of his apartment and his expansive emphasis on genuine face-to-face connection with people as opposed to the dislocated world of Facebook and Twitter and iPhoning. He was born and brought up in Israel and speaks with a rich, Hebrew-inflected accent that also sounds strongly French, which he also speaks. We loved the lengthy replies he gave to our questions as well his idiosyncratic way with the English language: “Tel Aviv! It’s the heart and the beat of the Middle East! Amazing! And the good looks ... the girls ... the boys!”fonte NY Social Diary.

Willie Wicked, ganhador Classico- venda de cobertura na Genetic Jump


Genetic Jump - Haras Santa Maria Rodovia Gladys Bernardes Minhoto (Antiga estrada à Tatuí), Km 73
Caixa Postal 147, Itapetininga, SP / Brasil - CEP 18.200-970
(55 xx 15) 3272 6874 / 3272 9925 / 7835 8809 / 7835 8815 / 7835 8808


LOCALIZAÇÃO: Itapetininga/SP. SI 96 QH races, stakes winner. Sire of 8 crops of racing age, 198 foals, 120 starters, 79 ROM, 62 stakes winners, races and earning $1,003,370.00 USA, including: HEZA FAST WILLIE SI 98, g.(7 wins to 6, $82,345 1st-Oklahoma Fut.,-G3 2nd-Black Gold Fut. Championship,-G3 3rd-Oklahoma Horsemen's Association Fut.,-G3, etc.) SM WILD WILLIE SI 97, g. (2 wins to 5, $49,741 2nd-Oklahoma Juvenile Challenge,-G3, etc.) WILLIE WAGTAIL SI 104, g. (3 wins to 5, $44,725, etc.)
Raça: QM - Sexo: Macho - Pelagem: Castanho - Nascimento: 16/3/1998 Vendedor: GENETIC JUMP

O 12º Leilão WV, promovido pela família Dosso, fechou em grande estilo a programação de leilões deste Campeonato Nacional da ABQM, no Parque de Exposições de Avaré (SP). Wilson Vitório Dosso e familia comemoraram seus 35 anos de criação, ofertando lotes de alto padrão genético, muitos deles voltados às linhagens de Velocidade.Fonte/Quarto de Milha /ABQM

sábado, 26 de novembro de 2011

Fernando Machado: Haras fazenda São Francisco , referencia na criação de cavalos Quarto de Milha



Com menos de 6 anos de existência, o Haras São Francisco,fica localizado Rodovia GO-162 - Km 8, Zona Rural - Palminópolis – GO – 75990-000 em Goias,propriedade do engenheiro baiano Fernando Machado (foto) tornou-se uma referência na criação de cavalos Quarto de Milha.

Numa área de 400 hectares, sendo 10 deles divididos em 18 piquetes irrigados, com predominância de pastagem Transvala e Pangola, o Haras possui um plantel selecionado de éguas e garanhões de linhagem de corrida
Hoje, o Haras São Francisco conta com uma equipe especializada, pista de doma, laboratório e 24 baias em 2 pavilhões, que garantem ao Haras uma forte atuação nos principais campeonatos e leilões nacionais.

Com tudo isso, o Haras São Francisco é hoje reconhecido como um centro de excelência na genética e produção de animais . O compromisso com a manutenção desta qualidade é sustentado pelo investimento permanente na renovação do seu plantel, com linhagens de ponta - adquiridas entre aquelas que se destacam no cenário nacional, como também pela importação de animais, contribuindo para evolução da raça no país.

Parceira da Genetic Jump, uma das tres maiores empresas de reprodução equina no pais , situada no Haras Santa Maria em Itapetininga , São Paulo, A Genetic Jump conta com 127 hectares de topografia extremamente plana e terra de ótima qualidade. Destes, 40 hectares são divididos em 50 piquetes, com pastos de Tifton, Coast-Cross e Jiggs. Os 56 hectares restantes são destinados à produção de feno e alimento para os animais.
A estrutura é composta por três pavilhões de cocheiras, com 44 boxes de 20 metros quadrados cada um. Todas as atividades veterinárias são realizadas num galpão de 400 m², o qual inclui sala de colheita de embriões, sala de colheita de sêmen, laboratório, farmácia, escritório informatizado, e boxes para isolamento e recuperação de animais enfermos.
Dr Mario Duarte e Dra Márilia Duarte proprietarios do Haras; ele,
formado em Medicina Veterinária pela Universidade Estadual de Londrina Unesp, Vem desde então, especializando-se no trabalho com eqüinos. Fez dois anos de Residência em Cirurgia de Grandes Animais na Universidade Estadual Paulista - UNESP, Campus de Botucatu. Trabalha com reprodução desde 1992, especializado em ultra-sonografia e sexagem fetal.
Dra. Marilia Pastorello Duarte:
Formada em Medicina Veterinária pela Universidade Estadual Paulista - UNESP, Campus de Botucatu, em 1994. Desde então, trabalha exclusivamente com reprodução eqüina. Especializada em Inseminação Artificial com endoscópio e em Transferência de Embriões, vem obtendo excelentes resultados, todos eles publicados em congressos e reuniões científicas.
A equipe Genetic Jump conta também com profissionais experientes, ferradores, treinadores, nutricionistas, veterinários clínicos especialistas e diversas áreas para assegurar os melhores cuidados possíveis a éguas, potros e garanhões sob os seus cuidados.
Serviços: Transferência de Embriões,Transferência de Ovócitos, Inseminação Artificial,Congelamento de Sêmen, Congelamento de Embriões, Clonagem, Arrendamento de Receptoras. consultoria e estabulagem.

Rodovia Gladys Bernardes Minhoto (Antiga estrada à Tatuí), Km 73
Caixa Postal 147, Itapetininga, SP / Brasil - CEP 18.200-970
(55 xx 15) 3272 6874 / 3272 9925 / 7835 8809 / 7835 8815 / 7835 8808
http://www.geneticjump.com.br

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Christina Onassis, shared memory



Par Marina Dodero. «Notre amitié date de plus de vingt ans, nous sillonnons la planète pour nous retrouver. En ce jour de novembre 1988, rien n’annonce la tragédie. Christina est amoureuse, joyeuse…»Fonte/ Paris Match.




En février 1964, je rencontre Christina Onassis – elle a 17 ans, et moi 15 – à Punta del Este, un petit paradis au bord de la mer en Uruguay où je passe mes vacances en famille. Je la trouve attachante, elle adore ma drôlerie et on devient inséparables. Quelques mois plus tard, je pars en Grèce avec mes parents et je fais connaissance avec son frère Alexandre, son père, Aristote Onassis et, sa mère, Tina Livanos. Depuis, notre amitié est devenue un pilier pour nos vies. On voyage sans arrêt pour se voir, des allers-retours à Skorpios et en Argentine. On est comme des sœurs. Je ne sens jamais de différence entre nous bien qu’elle soit l’héritière la plus riche du monde ; elle reste égale à elle-même, franche, ouverte, généreuse.

En 1969, un soir, je reçois un appel d’Aristote, furieux, qui me dit : « Tu sais que ta copine s’est mariée avec un Américain, je te charge de la ramener vite fait. » Désespérée, j’appelle Christina pour vérifier et lui expliquer la détermination de son père à la récupérer. Elle répond avec une sérénité déroutante. « Oui, je me suis mariée avec Joe Bolker à Las Vegas. » Elle a 19 ans et va hériter de la fortune Onassis. Quelques jours plus tard, face à la pression de son père, elle grimpe dans un avion et débarque à Buenos Aires chez moi, seule ! Son mariage avait duré une semaine…

A Paris, j’habite avec Christina, 88, avenue Foch ; son père vit un étage au-­dessus. Elle décide, un jour, pour s’amuser, de descendre dans la rue et de faire comme si on était des travailleuses du sexe… Au bout de 500 mètres, on nous propose 500 francs, puis la police passe et nous embarque. Christina explique au gendarme que c’était juste une comédie pour rigoler, qu’elle est la fille d’Onassis. Le policier, goguenard, lui ­répond : « Et moi, je suis le fils de De Gaulle ! » Christina hèle sa concierge Mme Maggie, lui demande à contrecœur de prévenir son père. Furieux, il nous libère immédiatement de cette situation embarrassante. Nous avons bien ri.

A Skorpios avec Christina sur le yacht qui portait son nom, Jackie Onassis vient avec ses enfants, John John et Caroline, avec qui je m’entendais à merveille. On nage, on joue aux cartes et on fait du Jet-Ski. Winston Churchill, très ami d’Aristote, est avec nous tous les étés sur le yacht. Ils passent leurs après-midi à refaire le monde autour d’une bouteille de whisky. Comme il a des difficultés à marcher, Ari lui a fait construire une voiturette électrique spéciale pour ses déplacements sur le yacht.

Christina vient à Buenos Aires le 20 octobre 1988 pour fêter mes 40 ans. Elle me confie : « Je ne supporte plus le froid et la pluie de Genève, je veux rester vivre en Argentine avec ma famille adoptive, les Dodero. » Elle ne consommait pas d’alcool, ne prenait pas de médicaments, comme les mauvaises langues ont pu le dire, mais buvait des litres de Coca-Cola light par jour ! On a loué une maison près de Buenos Aires pour inviter tous nos amis. Le soir de mon anniversaire, je remarque qu’elle danse très serré avec mon frère, Jorge Tchomlelkdjoglou. Ils ont un coup de foudre en dépit de leurs vingt-trois ans d’amitié. Au bout de quinze jours, ils annoncent leur mariage ! Elle est comme ça, Christina !

Le week-end du 15 novembre, nous partons tous les trois avec les gardes du corps de Christina fêter la nouvelle au country club de Tortuguitas, à quelques kilomètres de la ville. On dîne, et puis on se quitte ; les tourtereaux dans leur chambre, et moi dans la mienne. Le lendemain, mon frère part en ville, Christina dort. Vers 10 h 30, je frappe à la porte… Personne. Puis j’entends le bruit de l’eau dans la salle de bains. Je l’appelle, pas de réponse. Je décide d’ouvrir la porte. Je trouve Christina « endormie » dans la baignoire. En quelques secondes, je réalise qu’elle est sans vie. Affolée, j’appelle les médecins, mon frère, la police. Il est déjà trop tard : le 19 novembre 1988, mon amie chérie, Christina Onassis, a péri d’un œdème pulmonaire. J’endure une douleur viscérale face au choc brutal, mais je dois gérer une responsabilité face au monde, car elle est morte chez moi.

Après toutes les démarches légales pour ramener Christina en Grèce, comme elle l’aurait souhaité, j’arrive à Skorpios, avec son corps, dans le jardin de notre adolescence, et tant de souvenirs partagés. Six jours plus tard, sous une pluie battante, des centaines de bateaux ­accompagnent Christina avec des milliers de bougies pour lui faire un dernier adieu. Un bel hommage rendu par ses compatriotes. Skorpios restera sa demeure à jamais.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Sexagem fetal, contribuição à equinocultura



Genetic Jump - Haras Santa Maria Rodovia Gladys Bernardes Minhoto (Antiga estrada à Tatuí), Km 73
Caixa Postal 147, Itapetininga, SP / Brasil - CEP 18.200-970
(55 xx 15) 3272 6874 / 3272 9925 / 7835 8809 / 7835 8815 / 7835 8808
Estrutura
Instalações
A Genetic Jump conta com 127 hectares de topografia extremamente plana e terra de ótima qualidade. Destes, 40 hectares são divididos em 50 piquetes, com pastos de Tifton, Coast-Cross e Jiggs. Os 56 hectares restantes são destinados à produção de feno e alimento para os animais.
Nossa estrutura é composta por três pavilhões de cocheiras, com 44 boxes de 20 metros quadrados cada um. Todas as atividades veterinárias são realizadas num galpão de 400 m², o qual inclui sala de colheita de embriões, sala de colheita de sêmen, laboratório, farmácia, escritório informatizado, e boxes para isolamento e recuperação de animais enfermos.

Vista aérea do Haras Santa Maria


Dr. Mário C. G. Duarte:
Formado em Medicina Veterinária pela Universidade Estadual de Londrina em 1989. Vem desde então, especializando-se no trabalho com eqüinos. Fez dois anos de Residência em Cirurgia de Grandes Animais na Universidade Estadual Paulista - UNESP, Campus de Botucatu. Trabalha com reprodução desde 1992, especializado em ultra-sonografia e sexagem fetal.
Dra. Marilia Pastorello Duarte:
Formada em Medicina Veterinária pela Universidade Estadual Paulista - UNESP, Campus de Botucatu, em 1994. Desde então, trabalha exclusivamente com reprodução eqüina. Especializada em Inseminação Artificial com endoscópio e em Transferência de Embriões, vem obtendo excelentes resultados, todos eles publicados em congressos e reuniões científicas.

A identificação do sexo fetal na espécie equina apresenta diversos desafios, como a dificuldade em se localizar o tubérculo genital, a grande quantidade de líquido alantoidiano, a ampla movimentação fetal e o cordão umbilical bastante longo. A reunião desses fatores torna a identificação do sexo fetal extremamente difícil aos 60 dias de gestação, particularmente naquelas éguas de porte avantajado. Recentemente, resultados promissores têm sido conseguidos com a avaliação ultrassonográfica da gônada e da genitália externa do feto, entre 110 a 150 dias de gestação. Nesta idade, torna-se possível a visualização da diferença entre o macho (testículo, pênis e prepúcio), e a fêmea (ovário, tetos e clítoris). No entanto, apesar da elevada acurácia obtida em trabalhos já descritos, relata-se uma elevada dificuldade ao exame de gestações de éguas de grande porte. O objetivo deste resumo é relatar a utilização da técnica em questão em fêmeas de elevada estatura e grande constituição física.
Relato: Os procedimentos foram realizados no período de Junho a Julho de 2009, em sete éguas, sendo quatro da raça Brasileiro de Hipismo, duas mestiças Lusitanas (receptoras) e uma Puro Sangue Inglês. As éguas possuíam em média 550 kg de peso e 1,65 cm de altura de cernelha. As avaliações ultrassonográficas foram realizadas ao redor dos 119 dias de gestação com um transdutor linear de 5 MHz. A caracterização de feto fêmea deu-se com a identificação de ovário, tetos e clitóris e os fetos machos com observação de testículos, pênis e prepúcio.
Resultados: A porcentagem de acerto foi analisada após o nascimento dos sete produtos. Apenas um diagnóstico foi equivocado, sendo o nascimento de sexo oposto (macho) o detectado no diagnóstico de sexagem feito anteriormente (fêmea). O índice de acerto nestas fêmeas de grandes proporções foi de 86%.
Discussão: A porcentagem de acerto obtida no presente trabalho, quando comparada à descrita por outros autores (85 - 99% de acurácia), apresentou-se no limite inferior, porém dentro dos valores de acertos previamente relatados. Este fato pode ser explicado devido às éguas que foram submetidas ao exame serem de raças de tamanho exageradamente grande. Esta variação também foi observado por Carmo et al., (2007), o qual ao comparar as porcentagens de acertos de animais de raças de porte médio (por exemplo, quarto de milha) e animais de raças maiores (Brasileiro de Hipismo, Puro Sangue Inglês), houve uma diferença de 100% a 84% de acurácia respectivamente. Nestes animais maiores há considerável dificuldade em se alcançar o útero gravídico, fazendo com que se tenha maior dificuldade na realização da técnica.
Conclusão: A técnica de avaliação da gônada fetal e suas estruturas adjacentes pela ultrassonografia aos 110 - 140 dias de gestação têm trazido resultados promissores e uma enorme contribuição à equinocultura. É importante ressaltar que quando se trata de animais de porte avantajado, a porcentagem de acerto poderá se apresentar em seu limite inferior, mas ainda assim dentro de limites aceitáveis.fonte/ Roberta G. Gomes1*; Renato Zanin2; Marcelo Marcondes Seneda1
*garbelinirg@uel.br
1- Professor(a) do Departamento de Clínicas Veterinárias - CCA/UEL, Londrina/PR
2- Médico veterinário Agropecuária Laffranchi (UNOPAR)

domingo, 20 de novembro de 2011

By Maria Leon, La elegancia del dibujo. Crónica de París.


En cada dibujo, se puede admirar el espectacular estilo que tenían las señoras de aquel tiempo, que siempre solían vestir trajes de costura, entre otros, de Chanel, Schiaparelli, Lanvin y Vionnet que eran verdaderas joyas. Desde los sencillos camisones hasta las batas eran creadas a mano de forma meticulosa. Como os podéis imaginar, suponía un coste altísimo el hecho de poder vestir así de elegante. Según me comentó ayer el periodista Jesús Cano, que fue quien me acompañó a ver la exposición, las damas de alto poder adquisitivo tenían que tener un mínimo de 8 trajes por temporada e incluso se podían cambiar hasta 4 veces al día (hora matutina, hora del té, cocktail y cena). Me quedé “envidiosa” pensando la descendencia que ha podido heredar semejantes maravillas.Fonte/Hola.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

First Down Morn , the best



FIRST DOWN MORN SI 98 - GRADE 1 STAKES-PLACED FROM LEADING FEMALE SIRE LINE STANDING IN BRAZIL

FIRST DOWN MORN SI 98, Ganhou $193,829 sendo 3rd-El Primero Del Ano Derby(G1), Finalist in Los Alamitos Two Million Futurity(G1), Finalist in Ed Burke Million Futurity(G1), Finalist in Governor's Cup Derby(G2), Finalist in Sgt Pepper Feature H.(G3)
Property of: Fernando & Karla Machado

Standing At: Genetic Jump Ltda Po Box 147 - , Itapetininga SP, SP CEP 18.200-970 BRZ.

Com menos de 6 anos de existência, o Haras São Francisco,fica localizado Rodovia GO-162 - Km 8, Zona Rural - Palminópolis – GO – 75990-000 em Goias,propriedade do engenheiro baiano Fernando Machado tornou-se uma referência na criação de cavalos Quarto de Milha.

Numa área de 400 hectares, sendo 10 deles divididos em 18 piquetes irrigados, com predominância de pastagem Transvala e Pangola, o Haras possui um plantel selecionado de éguas e garanhões de linhagem de corrida
Hoje, o Haras São Francisco conta com uma equipe especializada, pista de doma, laboratório e 24 baias em 2 pavilhões, que garantem ao Haras uma forte atuação nos principais campeonatos e leilões nacionais.

Com tudo isso, o Haras São Francisco é hoje reconhecido como um centro de excelência na genética e produção de animais . O compromisso com a manutenção desta qualidade é sustentado pelo investimento permanente na renovação do seu plantel, com linhagens de ponta - adquiridas entre aquelas que se destacam no cenário nacional, como também pela importação de animais, contribuindo para evolução da raça no país.

Parceira da Genetic Jump, uma das tres maiores empresas de reprodução equina no pais , situada no Haras Santa Maria em Itapetininga , São Paulo, A Genetic Jump conta com 127 hectares de topografia extremamente plana e terra de ótima qualidade. Destes, 40 hectares são divididos em 50 piquetes, com pastos de Tifton, Coast-Cross e Jiggs. Os 56 hectares restantes são destinados à produção de feno e alimento para os animais.
A estrutura é composta por três pavilhões de cocheiras, com 44 boxes de 20 metros quadrados cada um. Todas as atividades veterinárias são realizadas num galpão de 400 m², o qual inclui sala de colheita de embriões, sala de colheita de sêmen, laboratório, farmácia, escritório informatizado, e boxes para isolamento e recuperação de animais enfermos.
Dr Mario Duarte e Dra Márilia Duarte proprietarios do Haras; ele,
formado em Medicina Veterinária pela Universidade Estadual de Londrina Unesp, Vem desde então, especializando-se no trabalho com eqüinos. Fez dois anos de Residência em Cirurgia de Grandes Animais na Universidade Estadual Paulista - UNESP, Campus de Botucatu. Trabalha com reprodução desde 1992, especializado em ultra-sonografia e sexagem fetal.
Dra. Marilia Pastorello Duarte:
Formada em Medicina Veterinária pela Universidade Estadual Paulista - UNESP, Campus de Botucatu, em 1994. Desde então, trabalha exclusivamente com reprodução eqüina. Especializada em Inseminação Artificial com endoscópio e em Transferência de Embriões, vem obtendo excelentes resultados, todos eles publicados em congressos e reuniões científicas.
A equipe Genetic Jump conta também com profissionais experientes, ferradores, treinadores, nutricionistas, veterinários clínicos especialistas e diversas áreas para assegurar os melhores cuidados possíveis a éguas, potros e garanhões sob os seus cuidados.
Serviços: Transferência de Embriões,Transferência de Ovócitos, Inseminação Artificial,Congelamento de Sêmen, Congelamento de Embriões, Clonagem, Arrendamento de Receptoras. consultoria e estabulagem.

Rodovia Gladys Bernardes Minhoto (Antiga estrada à Tatuí), Km 73
Caixa Postal 147, Itapetininga, SP / Brasil - CEP 18.200-970
(55 xx 15) 3272 6874 / 3272 9925 / 7835 8809 / 7835 8815 / 7835 8808
http://www.geneticjump.com.br

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Genetic Jump uma das tres maiores empresas em reprodução eqüina no Brasil


Estrutura
Instalações
A Genetic Jump conta com 127 hectares de topografia extremamente plana e terra de ótima qualidade. Destes, 40 hectares são divididos em 50 piquetes, com pastos de Tifton, Coast-Cross e Jiggs. Os 56 hectares restantes são destinados à produção de feno e alimento para os animais.
Nossa estrutura é composta por três pavilhões de cocheiras, com 44 boxes de 20 metros quadrados cada um. Todas as atividades veterinárias são realizadas num galpão de 400 m², o qual inclui sala de colheita de embriões, sala de colheita de sêmen, laboratório, farmácia, escritório informatizado, e boxes para isolamento e recuperação de animais enfermos.

Dr. Mário C. G. Duarte:
Formado em Medicina Veterinária pela Universidade Estadual de Londrina em 1989. Vem desde então, especializando-se no trabalho com eqüinos. Fez dois anos de Residência em Cirurgia de Grandes Animais na Universidade Estadual Paulista - UNESP, Campus de Botucatu. Trabalha com reprodução desde 1992, especializado em ultra-sonografia e sexagem fetal.

Dra. Marilia Pastorello Duarte:
Formada em Medicina Veterinária pela Universidade Estadual Paulista - UNESP, Campus de Botucatu, em 1994. Desde então, trabalha exclusivamente com reprodução eqüina. Especializada em Inseminação Artificial com endoscópio e em Transferência de Embriões, vem obtendo excelentes resultados, todos eles publicados em congressos e reuniões científicas.

Dra. Marilia Pastorello Duarte:
Formada em Medicina Veterinária pela Universidade Estadual Paulista - UNESP, Campus de Botucatu, em 1994. Desde então, trabalha exclusivamente com reprodução eqüina. Especializada em Inseminação Artificial com endoscópio e em Transferência de Embriões, vem obtendo excelentes resultados, todos eles publicados em congressos e reuniões científicas.

Equipe operacional
A equipe GJ conta também com tratadores experientes, além de gerente e vigia noturno. Estamos em contato constante com excelentes profissionais ferradores, treinadores, nutricionistas, veterinários clínicos especialistas e diversas áreas para assegurar os melhores cuidados possíveis a éguas, potros e garanhões sob os nossos cuidados.


Rodovia Gladys Bernardes Minhoto (Antiga estrada à Tatuí), Km 73
Caixa Postal 147, Itapetininga, SP / Brasil - CEP 18.200-970
(55 xx 15) 3272 6874 / 3272 9925 / 7835 8809 / 7835 8815 / 7835 8808

domingo, 6 de novembro de 2011

A Quarter Horse Company empresa do Haras Fazenda São Francisco assessora leilão virtual pelo agro canal





Show de animais de corrida. Ventres, embriões, produtos de todas idades apresentados por estes dois grandes representantes do cavalo no mundo. Confira as ofertas.http://www.wvleiloes.com.br/2011/leilao.php?id=409

sábado, 5 de novembro de 2011

Haras São Francisco, em Goiás,Funda a Quarter Horse Company Assessoria e Planejamento para Criadores de quarto de milha no Brasil e nos USA.


O Haras Fazenda São Francisco foi criado em Dezembro de 1990, com a compra do primeiro Quarto de Milha, DIAMANTE LIGHT, para cobrir algumas éguas, com o intuito de produzir animais para a lida do gado.

Em pouco tempo, Fernando Machado, proprietário do Haras São Francisco,verificou que " Como este cavalo tinha linhagem de corrida, participamos de algumas provas, onde acabamos por vencer nove desafios no Mato Grosso. Logo após estas conquistas, o levamos para o Jockey Club de Sorocaba, onde conquistamos mais cinco vitórias. Algum tempo depois, o DIAMANTE LIGHT foi vendido para o Paraguai, onde é um reprodutor comprovado de alto padrão.
Até o ano de 2004, criamos somente animais Quarto de Milha, mas em setembro de 2004 compramos o nosso primeiro animal da Raça Paint, PLAYBOY RA. Nossa paixão pela raça foi imediata e logo decidimos investir em animais Paint na linhagem de Trabalho. Atualmente alem dos cavalos, criamos também gado Holandês, Gir e Girolando".
Fernando planejou, organizou e fundou a empresa Quarter Horse Company que vai dar aos criadores de Quarto de Milha no Brasil e, nos Estados Unidos, assessoria e planejamento com o objetivo principal de fazer assessoria em leilões virtuais e de recinto no Brasil; orientando na compra de animais nos Estados Unidos, fazer a quarentena nos Estados Unidos e importação e quarentena no Brasil; como também preparar toda a documentação necessária e entregar ao cliente o animal já legalizado inclusive com o registro ABQM.
A Quarter Horse Company Assessoria e Planejamento vai fazer a divulgação dos garanhões como também a campanha de corridas, divulgando todos os filhos dos garanhões ganhadores . A estatistica será semanal.
Além disso, noticias dos garanhões por ordem alfabética com fotos e video de cada garanhão como também o pedigree completo e toda a produção do animal.Além de noticias de leilões,e corridas.O site está sendo finalizado para entrar on line.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Rupert Murdoch - the sucession

foto/Wikipédia
Among the many repercussions of the News Corp. phone-hacking scandal, the most mysterious has been its effect on Rupert Murdoch’s children. Their 80-year-old father’s double-edged dream of dynasty has dominated the lives of three of the six: the Australia-based Lachlan, the well-networked Elisabeth, and the currently embattled James. But the balance of power continues to shift, with Rupert’s third wife, Wendi, a formidable x factor, and his second wife, Anna, still weighing in. Talking to News Corp. and family insiders, Sarah Ellison discovers how the Murdochs coalesced and splintered as the crisis raged, and assesses the complex allegiances that remain.
Two weeks earlier, Lachlan Murdoch, Rupert’s oldest son, had been with him at Herb Allen’s annual retreat for media moguls and Wall Street tycoons in Sun Valley. Rupert arrived just as the story broke of Milly Dowler, a kidnapped and murdered girl whose cell phone had been hacked by the News of the World in 2002. The story set off a media firestorm. Inside the seemingly unified Murdoch family, it broke open tensions that had been simmering for months. And it forced the patriarch to face the possibility that he might be the last Murdoch at the helm of his own company.

Rupert and Lachlan huddled together in Sun Valley for most of the week following the Milly Dowler revelations. They avoided the press and almost everyone else. James was on the phone from London continually. So was Elisabeth, who also lives in London. Murdoch had described the phone-hacking allegations as “deplorable and unacceptable,” but seemed inclined to do little else. He had voiced support for Rebekah Brooks, the C.E.O. of his British newspaper division, News International. Elisabeth told him that Brooks needed to resign.
Rupert Murdoch has fathered six children in the course of three marriages. He married his first wife, Patricia Booker, in 1956, and they had one daughter, Prudence, before divorcing. Prudence lives today in Australia, avoids the spotlight, and takes no role in her father’s company. (One person in the News Corp. circle described her as the Pete Best—the “fifth Beatle”—of the Murdoch family.) Murdoch then married Anna Torv, a Scottish journalist who worked for him in Australia. They had three children: Elisabeth, Lachlan, and James. The marriage to Anna lasted more than 30 years. In 1999, 17 days after finalizing his divorce from Anna, Murdoch married Wendi Deng, a Chinese-born staff member at his Star TV operation, who is 38 years his junior. They have two daughters—Grace, 10, and Chloe, 8. Fonte/Vanity Fair

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Eike Batista anuncia a OSX como a "Embraer dos Mares"

Foto/Wikipédia
Com um sorriso borbulhante, o empresario Eike Batista, 6ª maior fortuna do mundo segundo a revista Fortune, falou de improviso para uma plateia de cabeças coroadas do empresariado paulistano sobre seu mais novo empreendimento.
A OSX já nasce com 48 plataformas contratadas pela OGX, a petroleira do grupo de Eike e chamada de "empresa-irmã" pelo diretor financeiro do grupo, Roberto Monteiro. E um contrato de venda de 10% da divisão de estaleiros para a coreana Hyundai Heavy Industries, com direito a intercâmbio de tecnologia. Além desse braço, a companhia terá também uma divisão de leasing e uma de serviços. Atualmente, o controle está com a EBX, mas o plano é de que 40% das ações sejam negociadas no IPO.

A previsão é de que as plataformas construídas no estaleiro comecem a ser entregues em 2013. Seriam quatro no primeiro ano; sete em 2014; até chegar a 13 em 2016. Em dez anos, apenas para a OGX, seriam 48, com um custo de cerca de US$ 30 bilhões. A estimativa da própria empresa é que, no Brasil, no período, serão construídas 182 plataformas para atender à demanda, inclusive para a região do pré-sal.

O estaleiro da OSX, com 3,2 milhões de metros quadrados, será construído em Biguaçu, em Santa Catarina, a 20 minutos de Florianópolis. Segundo a apresentação, será o "maior estaleiro das Américas", com capacidade para processar 220 mil toneladas de aço. De acordo com o diretor de operações, Luiz Eduardo Carneiro, os investimentos serão da ordem de US$ 1,7 bilhão. A expectativa é de que, já no segundo semestre, as licenças sejam liberadas e as obras comecem.Fonte/Exame

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Philippine de Rothschild receives honor last thursday at the Pierre,




Last Thursday at the Pierre, the American Friends of Blérancourt honored Baroness Philippine de Rothschild as the first recipient of the Anne Morgan Award of Excellence. Anne Morgan, daughter of J. Pierpont Morgan, along with 350 women volunteers rebuilt war-torn Picardy following World War I. The Château de Blérancourt, her former home, now houses the Franco-American museum she founded. The Anne Morgan award was created to recognize a woman who has similarly responded to a challenge in society, the arts and in business.

Baroness Philippine de Rothschild, also from a successful family, is the head of the Bordeaux wine empire of Château Mouton Rothschild, known for the unique wine labels featuring leading artists. Baroness de Rothschild was the first woman to head up this wine company and she successfully double the sales and expanded the company. For last weeks’ elegant affair, she donated sumptuous bottles of Opus One from her personal collection. Three bottles of 1988 Chateau Mouton Rothschild were auctioned off and won by Mr. Peter Heydon.Fonte/New York Social Diary.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Balmain, a big moment .


It was Olivier Rousteing's big moment at Balmain. The young designer, having worked under Christophe Decarnin for two years, assumed the design reins at the house after his former boss' sudden departure in February. Rousteing presented his Resort collection during the Couture shows in July, but this was his first time putting the clothes on the runway in front of the entire fashion world.

Considering his tender age (he's just 25), and the stakes (Balmain became a relatively big business in its boom years), we'd say Rousteing fared fairly well. He has clearly absorbed the babes-in-beads look that Decarnin and his stylist Emmanuelle Alt made famous, but he sagely put his own spin on it. Despite the familiar skintight silhouettes and the short hems, the trash factor was gone.

Still, elaborate embroideries remained the name of the game here. Rousteing looked to Nudie Cohn's rhinestone-covered Nudie suits and traditional toreador costumes for inspiration. "Mixing the tailoring of Mexico and the glamour of Vegas," was how he described his MO for Spring backstage. He also name-checked Oscar de la Renta, who preceded Decarnin, and Pierre Balmain himself, indicating, in so many words, that he'd like to bring a bit of class to this act.

So there was a new softness to a wallpaper-floral motif rendered in pastel silk embroidery on an hourglass dress, one that was echoed in the baby blue and white print of the opening trousers. Ultimately, those pieces made up a small part of the collection, but they may prove the key to Rousteing's success. Despite what the business guys at Balmain are looking for, the crowd assembled today doesn't want a watered-down rehash of Decarnin's successes. They want a new kind of sizzle. Negotiating that divide will be Rousteing's big challenge going forward.Fonte/Style.com

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Roberto Irineu Marinho comemora seu aniversario em Gstaad , na Suiça


Temperatura amena , ideal para Roberto Irineu Marinho acompanhado de sua mulher Karen e de um grupo de amigos, comemorar seu aniversário, em seu chalé , em Gstaad na Suiça.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Outubro Rosa , campanha mundial do Grupo Estée Lauder contra o cancer de mama


Recién inaugurado el mes de octubre, comienza la cruzada contra el cáncer de mama. 31 días que se tiñen de rosa, el color que simboliza el apoyo a las campañas de lucha contra una enfermedad que padecen miles de mujeres en todo el mundo. A lo largo de estas semanas, son muchas las que lucirán el lazo en sus solapas. Y, una vez más, el grupo Estée Lauder se vuelca en esta iniciativa, en gran medida debido a la implicación personal de Evelyn Lauder, su vicepresidenta, a favor de esta causa.

Así, el Grupo Estée Lauder ha presentado como cada año su nueva Campaña contra el Cáncer de Mama 2011, con el lema “Juntos. Conectar. Comunicar. Vencer. Para un futuro sin cáncer de mama”. Un paso más en el camino que comenzó en 1992 Evelyn Lauder, con un objetivo claro: concienciar sobre la importancia de la salud del pecho y la detección precoz.

“Juntos somos más fuertes. Juntos podemos hacer más. Juntos podemos encontrar una cura. El tema de nuestra campaña 2011 representa la importancia de la unión para apoyar a amigos y familia en la lucha contra esta terrible enfermedad”, explica Evelyn Lauder, quien añade sentirse orgullosa de que en el mes de octubre de 2011, las marcas del Grupo Estée Lauder prevén distribuir aproximadamente 115 millones de lazos rosas y millones de tarjetas informativas en todo el mundo. “Además, durante ese mes, pretendemos recaudar cerca de 50 millones de dólares gracias al apoyo de numerosos colaboradores que serán destinados a The Breast Cancer Research Foundation”, afirma Evelyn, quien ha encontrado a la perfecta embajadora de la causa en la actriz Elizabeth Hurley, quien no duda cada mes de octubre en enfundarse un traje rosa y recorrer cada rincón llevando el mensaje solidario.

"Un futuro sin cáncer de mama"
“La información y la detección precoz, junto con la recaudación de fondos para encontrar una cura, son los componentes clave para acabar con esta enfermedad. Juntos podemos lograr un mayor impacto, salvar más vidas y conseguir más fondos. Debemos decir a todas las mujeres que conocemos que tienen que acudir a su médico ante cualquier duda y hacerse mamografías cada año a partir de los 40. Espero y deseo un futuro sin cáncer de mama”, afirma la actriz. Fonte/Hola

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Caroline Kennedy decided talk about Jack and Jackie'life Kennedy her father and mother



Your husband was murdered — in public, sitting right next to you — just four months ago. You want to go off in a corner and grieve, but he was America’s greatest star and you are the most celebrated woman in the world; privacy is out of the question. Now someone comes to your house and asks you to describe what it was like to be the woman you’ll never be again.
But also, I think, therapy — the talking cure. Arthur Schlesinger, a noted historian and close family friend, gets Jacqueline Kennedy reminiscing about the old times, the good times, the campaigns and dinners and trips. And she responds, knowing that he’ll never contradict her, never breach the boundaries of this walk down memory lane — that is, he’ll never ask her what happened in Dallas and what it was really like to be married to John F. Kennedy.

And so Jacqueline Kennedy talks. In a breathy voice that’s a second cousin to the whispery speech of her husband’s lover, Marilyn Monroe, she weaves a riveting tale. I could not have done what Jacqueline Kennedy did here — render, without tears, memories of a courtship, marriage and a presidency. That alone makes this book facinating reading. [To buy Jacqueline Kennedy: Historic Conversations on Life with John F. Kennedy from Amazon, click here. There will be a Kindle edition, but not until January, 2012.]

She claims she has no opinions --- she was a Japanese wife, she says, who adopted her husband’s views --- but in fact, she has many:

Martin Luther King: “I just can’t see a picture of Martin Luther King without thinking, you know, that man’s terrible….[John F. Kennedy] told me of a tape that the FBI had of Martin Luther King when he was here for the freedom march. And he said this with no bitterness or anything, how he was calling up all these girls and arranging for a party of men and women, I mean, sort of an orgy in the hotel, and everything.”

Charles DeGaulle, French general and president: “That egomaniac.”

Lady Bird Johnson: “She was sort of like a trained hunting dog.”

Franklin D. Roosevelt: “Charlatan is an unfair word…”

Adlai Stevenson, the former Democratic presidential nominee: “Violently liberal women in politics” preferred hin because they “were scared of sex.”

Indira Gandhi, the future prime minister of India: “She is a real prune – bitter, kind of pushy, horrible woman.”

André Malraux, the French novelist: “the most fascinating man I’ve ever talked to.

John F. Kennedy: close to a perfect husband. At the height of the Cuban missile crisis, when America had good reason to fear atomic war, she told him: “If anything happens, we’re all going to stay right here with you. I just want to be with you, and I want to die with you, and the children do, too — than live without you.”


Click to order Jacqueline Kennedy: Historic Conversations on Life with John F. Kennedy.

So while 54 million Americans watched her televised tour of the White House, only one mattered: “Suddenly, everything that’d been a liability before — your hair, that you spoke French, that you didn’t just adore to campaign, and you didn’t bake bread with flour up to your arms — you know, everybody thought I was a snob and hated politics. All of that changed. I was so happy for Jack, especially now that it was only three years together that he could be proud of me then. Because it made him so happy — it made me so happy.”

Those tapes were made 47 years ago. Caroline Kennedy decided that the 50th anniversary of her father’s presidency was a good time to release them, so now we have these 350 pages and eight CDs. If you are obsessed with Jacqueline Kennedy, admired her husband or just can’t get enough of Presidential politics, you will find this book addictive.

You will also be forced to confront the gulf between what she knew at that time about her husband and what we know now.

Start with the fact that John F. Kennedy was the most flagrantly promiscuous president in the last century. He spent 15 minutes with a prostitute a few hours before the first televised Presidential debate. In the White House he and his wife had separate bedrooms; he hired one of his lovers to be her secretary and avoided Jackie as much as possible. (“That first winter [in the White House], I couldn’t sleep very well,” she tells Schlesinger, with touching innocence. “He’d always send you away and — when he knew you were tired. And then you’d come back so happy again. I always think our whole married life was renewals of love after, you know, brief separations.”) The last weekend of JFK’s life? He spent it with two female assistants in Palm Beach.

We become what we behold. He was the son of an imperious philanderer; she was the daughter of a notorious man about town. In their aristocratic circles, monogamy was the exception, a fluke, and wives put up with wandering husbands. Appearance was all. That Pulitzer Prize that Kennedy won for Profiles in Courage — his father bought it for him. And, it is widely believed, Joe Kennedy was willing to pay Jackie $1 million to stay with the President in his second term.

And yet you only have to look at the final picture in this book to know that, whatever love meant for them, Jack and Jacqueline Kennedy did love one another. In death, she gave him the greatest gift a widow can — she created a legend, Camelot. We know better. And yet the legend endures.

What matters much more than the marketing of her lost husband is how his widow digs deep into people and places and events. Her tart observations point the way to the independent woman she would eventually become. A kind of greatness lay behind her. But a better kind of greatness lay ahead. Fonte/ New York Social Diary.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

King Abdullah : SAUDI ARABIA: Reforms will allow women to vote but not drive



Perfect.


REPORTING FROM CAIRO -- King Abdullah of Saudi Arabia surprised his ultraconservative nation Sunday by announcing bold reforms that for the first time give women the right to vote, run for local office and serve on the Shura Council, the king’s advisory board.

The measures by an aging monarch who has battled Islamic hard-liners for years will marginally improve the standing of women in a country that still forbids them from driving or leaving the house without their faces covered. The moves appear likely to enrage religious conservatives while serving to advance at least a veneer of change in one of the world’s most repressive states.

“Because we refuse to marginalize women in society in all roles that comply with sharia [Islamic law], we have decided ... to involve women in the Shura Council as members, starting from the next term,” the king said in a five-minute speech to his advisors.

He added: “Women will be able to run as candidates” in the 2015 municipal election “and will even have a right to vote.”

The announcement suggests that the ailing 87-year-old king seeks a legacy as a reformer, despite making only modest inroads on human rights. Abdullah built the country’s first coeducational university and has granted 120,000 scholarships to Saudi students, many of them women, to study outside the country. Each was opposed by clerics and religious ultraconservatives in the royal family.

Allowing women to vote is “hugely significant,” said Lubna Hussain, a Saudi writer. “The king is implementing the reform promises he made when he became leader. It shows he is not willing to pander to religious fundamentalists ... who are quite weakened and don’t seem to have the voice they used to.”

The new rights for women come as Saudi Arabia has bristled at demands for political freedoms that have spirited rebellions across the Arab world and toppled such longtime allies of the king as Egyptian President Hosni Mubarak. When rumblings of revolt echoed in Saudi Arabia, the government, whose security forces are omnipresent, promised $130 billion in salary raises and spending for social and religious programs.

Such largesse and attempts at modernization have kept Abdullah popular even while challenges to the royal family have been quickly crushed. Saudi dissidents and human rights groups have condemned the government for crackdowns that have occasionally damaged the king’s image and led to criticism that his family’s reliance on religious conservatives to stay in power makes him too cautious a reformer.

The king is the counterbalance to influential anti-reformist forces, including Prince Nayef ibn Abdulaziz, the Saudi interior minister, who many believe may succeed Abdullah. Nayef is sympathetic to fundamentalist Wahhabi clerics who uphold the segregation of sexes and have resisted the monarch’s attempts at modest reforms to ease religion's grip on schools, courts and other institutions.

Yet discriminatory laws, such as preventing women from driving, have become an international embarrassment for the kingdom, a key U.S. ally that relies on oil wealth to expand its diplomatic stature. A number of women were arrested over the summer for defying the driving ban. Analysts predicted that by allowing women to vote the king has opened the possibility for wider rights debates.

But others said the latest reforms were diversions that did little to change the plight of women in a country where they can be beheaded for adultery and cannot travel abroad without the permission of a male guardian.

“It’s a mixed feeling. On one hand he opens the door for her and on the other hand she is still banned from driving,” said Mohammad Fahd Qahtani, a college professor and human rights advocate. “It doesn’t save her from horrible treatment by government agencies and the courts. It’s a symbolic gesture but it is in no way enough to improve the lives of women.”

He added: “These rights to vote are still, if you see how it’s worded, are contingent on Islamic jurisprudence. So we'll have to see in coming years what happens. The devil could be in the details. But maybe it’ll get some international praise for the regime.”

Sunday’s announcements “represent an important step forward in expanding the rights of women in Saudi Arabia, and we support King Abdullah and the people of Saudi Arabia as they undertake these and other reforms,” said Tommy Vietor, spokesman for the U.S. National Security Council.

The change will not alter the Saudi power structure. Municipal councils have little authority and only half their members are elected. The Shura Council, a body akin to a parliament but with no legislative power, advises the king on economic, social and international affairs.
Fonte/ Los Angeles Times.

Roberto Irineu Marinho com sua mulher karen prestigiam Joe wallach


Não é qualquer motivo que tira Roberto Irineu de casa, de jeito nenhum! Muito bem instalado na Gávea, Zona Sul do Rio, o presidente das Organizações Globo (e sua mulher, Karen), raramente é visto em eventos sociais, seja do tipo que for. Tem que haver uma razão muito forte para fazê-lo dar as caras em algum lugar. Foi o que aconteceu nessa quinta-feira (25/08), quando Irineu compareceu ao lançamento de “Meu capítulo na TV Globo” (editora Topbooks), de Joe Wallach. No caso, o que levou o empresário àquela fila na Livraria da Travessa, em Ipanema, foram laços muito fortes – de amizade e, de certa forma, até de gratidão. Ele sabe que era o que faria seu pai, o jornalista Roberto Marinho. O autor, de 86 anos, é personagem importantíssimo na história das suas empresas, tanto quanto na vida do Dr. Roberto.

No livro, Wallach conta bastidores da Rede Globo, sua trajetória cheia de afetos (qualquer um percebe nas entrelinhas) na emissora que ajudou a fazer virar a grande potência que é hoje, junto ao Boni de Oliveira e ao Walter Clark. Ali, viam-se grandes amigos de Joe, além do Boni, como Lucinha e João Araújo, Jorge Adib, Alice Maria, Mário Lúcio Vaz, Walter Sampaio, Octávio Florisbal, para falar apenas da turma da emissora. Em se tratando de Rio de Janeiro, Wallach é queridíssimo entre seus contemporâneos. Muitos não o viam há anos. Foi clima de saudade – encontros emocionados.Fonte / site Lu Lacerda

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Eleanor Lambert - a moda como arte


Nascida em Crawfordsville Indiana; estudou moda no Art Institute de Chicago e foi uma das primeiras a tratar a moda como arte . Começou com uma agência de publicidade in Manhattan, New York, lidando principalmente com artistas e galerias de arte. Em meados da Década de 1930 ELA era o Diretora de Imprensa do Primeiro Museu Whitney de Arte Americana e ajudou na Fundação do Museu de Arte Moderna. Em meados da década de 1930 ela era Diretora de Imprensa do Primeiro Museu Whitney de Arte Americana e ajudou na fundação do Museu de Arte Moderna. Ela foi casada duas vezes ,com Wills Conner, e Seymour Berkson.
Foram alguns dos muitos artistas que ela representava.
Em 1959 e 1967, ela foi convidada Pelo Governo dos EUA para apresentar moda americana pela primeira vez, Na Rússia, Alemanha, Itália, Austrália, Japão, Grã-Bretanha e Suíça.
Em 1965, FOI nomeada Pelo Presidente Lyndon Johnson AO Conselho Nacional de Artes Em 1962, ELA organizou o CFDA (Conselho de Estilistas de Moda da América) e permaneceu como Membro Honorário ATÉ SUA Morte em 2003. Em 1962, ela organizou o CFDA (Council of Fashion Designers of America)
Em 2001, o CFDA CRIOU o prêmio "O Prêmio Eleanor Lambert", Que É Apresentado Por UMA "Contribuição Única para o Mundo da moda.Morreu com 100 anos.Fonte/Wikipédia

terça-feira, 6 de setembro de 2011

The movie about Barbara Hutton Poor Little Rich Girl: The Barbara Hutton Story (2008)



Vale a pena ver esse filme.
Barbara Woolworth Hutton (Nova Iorque, 14 de Novembro de 1912 — Beverly Hills, 11 de Maio de 1979)[1] foi uma das três herdeiras do multimilionário Frank Winfield Woolworth, dono da gigante rede de lojas Woolworth espalhadas pelo mundo.

Considerada na altura uma das três mulheres mais ricas do mundo, com uma fortuna avaliada em 50 milhões de dólares (o equivalente a mais que 1 bilião de dólares actualmente), quando morreu só restavam 3500 dólares na sua conta bancária.[2][3]

Devido à sua vida atribulada e sempre perseguida pelos meios de comunicação, ficou conhecida como "Pobre menina rica".

Barbara Hutton nasceu em Nova Iorque no dia 14 de Novembro de 1912, filha única de Franklyn Laws Hutton e Edna Woolworth.

Franklyn Hutton (1877 — 1940), era um investidor rico e bem sucedido, co-fundador da empresa de investimentos e corretagem "EF Hutton & Company", detida pelo seu irmão Edward Francis Hutton. Entre 1920 e 1935, Edward Francis foi casado com a herdeira dos cereais Marjorie Merriweather Post, de quem teve uma filha, a atriz Dina Merrill (nascida Nedenia Hutton).

Edna Woolworth (1883 — 1918), era uma das três filhas do milionário Frank Winfield Woolworth, fundador da Woolworth, uma grande e bem sucedida rede de armazéns (conhecida por vender produtos a 5 e 10 cêntimos) em todo o mundo.

Edna Woolworth casou em 1907, aos 24 anos, com Franklyn Laws Hutton.[4] As infidelidades do seu marido e o fato de ele ser alcoolatra causararam uma enorme infelicidade no casamento e depressão, tendo o pai de Edna inclusive ter sugerido o divórcio. Edna procura fugir da solidão e desenvolve uma estreita amizade com Bud Bouvier, irmão mais novo de John Vernon Bouvier, pai de Jacqueline Kennedy Onassis. Embora tenha existido um romance entre eles, Bud Bouvier acaba por casar com uma mulher mais jovem. Trágicamente, em 2 de maio de 1918, Edna, com 35 anos, comete suicídio. Barbara, então com cinco anos, descobre o corpo da sua mãe sem vida, o que será para ela um traumatismo para toda a vida.
Barbara herda então os bens da mãe e o seu pai passa a fazer a gestão desse património. Em 1926, o seu pai casa com Irene Curley Bodde e, embora Barbara mantenha uma relação fria com eles, o pai administra e investe sábiamente o seu património, aumentando-o gradualmente nos anos seguintes até ela atingir os 21 anos de idade.
Após a morte de sua mãe, Barbara é praticamente abandonada pelo pai, vivendo algum tempo na casa do tio, Edward Hutton e depois na enorme mansão do seu avô, Winfield Hall em Long Island. Torna-se uma criança introvertida e de relacionamento difícil com outras crianças da mesma idade, adotando o hábito de oferecer os seus brinquedos para conquistar a sua atenção.
Seu avô Frank Woolworth morre subitamente aos 66 anos de idade, de uma infecção dentária na sua mansão em Glen Clove, Long Island, a 8 de Abril de 1919, tendo na altura Bárbara 7 anos. A sua avó, Jennie tinha piorado de saúde mental nos últimos anos, encontrando-se praticamente demente nesta altura. Devido a esse fato, Frank W. Woolworth tinha redigido um novo testamento que iria dispersar a sua fortuna pela família, amigos, empregados e instituições de benificiência, mas não foi a tempo de ser executado. Assim, acabou por prevalecer o anterior, que designava a sua mulher como herdeira universal de todos os seus bens, tendo sido necessário constituir uma comissão, formada por Hubert Parson, presidente da empresa e pelas suas duas filhas: Helena (casada com Charles MacCann) e Jessie (casada com James Paul Donahue).
Em 1924, após a morte de Jennie Woolworth, a fortuna avaliada em $84 milhões de dólares é dividida em três partes iguais, sendo herdeiras as duas filhas Helena e Jessie e a neta Barbara. Como Barbara é menor, a sua parte (28 milhões de dólares) fica sob a responsabilidade do seu pai e é administrada por ele, até ela completar os 21 anos de idade.[5]
Nesta altura Barbara vive separada dos pais, é criada por governantas e protegida por seguranças. É educada em escolas particulares de elite, como a Miss Porter's School[6] e no verão faz viagens regulares á Europa. O seu primo Jimmy Donahue torna-se o seu amigo mais próximo e confidente.[1][2]

[editar] AdolescênciaEm 1930, Barbara cumpre o seu 18º aniversário e, de acordo com as tradições da alta sociedade de Nova Iorque, é organizado em 21 de dezembro um baile em sua honra, no "Hotel Ritz-Carlton" em Manhattan.
Os Estados Unidos viviam na altura um período grave de recessão, devido á queda da bolsa de valores. A festa de Barbara, apesar da crise, foi de um luxo sem precedentes e muito criticada na altura pela população sem trabalho e recursos financeiros. Neste evento para 1000 convidados, foram necessárias quatro orquestras e 200 criados para servir. Consumiram-se milhares de garrafas de champanhe e calcula-se ter custado 60 000 dólares. Compareceram as famílias mais ricas e célebres da sociedade, como "Astor", "Rockefeller" e a herdeira da indústria de tabaco Doris Duke, tendo sido contratados para cantar "Rudy Vallée" e Maurice Chevalier. Nesse baile, Barbara conheceu e apaixonou-se por Phil Plant, um conhecido playboy com reputação de gostar de carros desportivos e romances interesseiros. O pai de Barbara não aprova o relacionamento e planeia uma viagem na perspectiva da filha o esquecer.[7]
No ano seguinte, Barbara viaja com o pai e madrasta para a Europa e em 19 de Maio é apresentada, no Palácio de Buckingham ao Rei Jorge V e Rainha Maria. Seguem depois para Paris onde Barbara conhece Elsa Maxwell, famosa por organizar festas em que são apresentadas mulheres ricas a representantes empobrecidos da realeza europeia.

Em 1933, no auge da Grande Depressão, Barbara Hutton herda no seu 21º aniversário, a parte da sua mãe e do avô, perfazendo um total de cerca de 50 milhões de dólares (equivalente a mais de $1 bilião atualmente) tornando-a uma das três mulheres mais ricas do mundo. Como recompensa, dá ao pai $5 milhões, por ele sábiamente ter aumentado (praticamente para o dobro) o valor da sua herança inicial.[2][8]

A partir desse instante, os media seguem todos os seus passos e apesar de ser retratada como a jovem mulher que tinha tudo, o público não tinha ideia dos seus problemas psicológicos, que a levaram a uma vida inteira de vitimização, exploração, abusos e drogas.

[editar] Casamentos[editar] Alexis MdivaniEm Janeiro de 1933, Barbara viaja para o Extremo Oriente e conhece em Banguecoque, Alexis Mdivani (1905 — 1935), um principe russo da Geórgia, divorciado de Louise Astor Van Hallen. O noivado é anunciado em Abril desse ano e deixa indignado o pai de Barbara, pois ainda não tinha cumprido os 21 anos que lhe dariam o acesso definitivo a toda a sua imensa fortuna. Barbara encomenda de imediato três Rolls-Royce e oferece um ao pai.
Barbara e Alexis firmam um acordo pré-nupcial protegendo-a em caso de divórcio e dá ao futuro marido 1 milhão de dólares além de um substancial subsídio anual. Em 20 de Junho casam-se em Paris, numa cerimónia civil e em 22 numa catedral ortodoxa russa, seguida de uma celebração tão faustosa que a imprensa critica duramente a nova princesa, por gastar tanto dinheiro neste casamento. Com 70 malas de bagagem, iniciam a lua de mel em Itália, depois China e Japão. Barbara oferece em todo o lado presentes ao marido e ele torna-se tão exigente que no final de 1934, o casamento parece condenado. Barbara inicia o processo de divórcio que fica concluido em Maio de 1935. Midvani admite mais tarde nunca ter amado a mulher e que o casamento teria sido orquestrado de forma interesseira pela irmã, Roussie (Carmen du Sautoy).
Midvani morre súbitamente em Agosto de 1935, num acidente de corrida de automóveis em Espanha. Barbara fica surpreendida por ser contamplada no testamento com 400 000 dólares, um quinto do total dividido também por dois irmãos e irmãs.[8][9]

[editar] Kurt ReventlowLogo após o divórcio de Midvani, Barbara casa em 1935 com Kurt Reventlow, nascido Kurt Graf von Haugwitz-Hardenberg-Reventlow (1895 — 1969), um conde dinamarquês.[1]
Em 24 de Fevereiro de 1936, Barbara dá à luz em Londres um filho, Lance Reventlow (nascido Lawrence Graf von Haugwitz-Hardenberg-Reventlow) num parto muito complicado e que quase lhe tira a vida. Barbara fica então a saber que não poderá mais ter filhos.


Winfield House - Embaixada dos E.U.A. no Reino Unido (2006).Preocupada com as ameaças de raptarem seu filho e com a insistência do marido, decide comprar em Londres uma casa maior e mais segura. Aceitando a sugestão de alguns amigos, adquire St. Dunstan´s Villa, uma casa com um grande terreno de 12 acres e que tinha sido abandonada, após ter sido parcialmente destruida por um incêndio. Depois de demolir a casa existente, faz então grandes obras e ergue uma enorme mansão estilo Georgiano a que dá o nome Winfield House, em homenagem ao seu avô materno.[10] Uma alta rede de segurança foi construida à volta do perímetro, plantaram-se milhares de árvores e sebes e o interior foi decorado com móveis antigos, obras de arte e pinturas, tapeçarias, mármores, etc.. Depois do Palácio de Buckingham seria a casa com maior terreno no centro de Londres, estimando-se que Barbara terá gasto 5 milhões de dólares.
Reventlow foi dos maridos de Barbara que mais a abusou, verbal e fisicamente, tendo-a pressionado a mudar para a cidadania dinamarquesa, alegando que pagaria assim menos impostos. Em 16 de Dezembro de 1937 renuncia á cidadania norte-americana, o que se torna um escândalo nos EUA. Segundo a lei na Dinamarca, Reventlow herdaria toda a fortuna da mulher em caso de morte e especulava-se que ele teria um plano para a assassinar. Depois de ter ocorrido um episódio em que Reventlow a agride fisicamente, Barbara faz queixa à policia e ele é preso. Nesta altura ela começa a abusar de drogas e a desenvolver anorexia, situação que a acompanhará para o resto da vida. Inicia-se um processo complicado de divórcio que termina em 1938 e Barbara consegue obter a custódia do seu filho.
Com a ameaça da Segunda Guerra Mundial, Barbara decide regressar aos EUA e instala-se na Califórnia.[7]

[editar] Cary GrantDurante a Segunda Guerra Mundial, Barbara tenta melhorar a sua imagem pública, dando dinheiro para apoiar as forças militares francesas e doado o seu enorme iate para o governo dos Estados Unidos. Autorizou também que a sua mansão em Londres, Winfield House
Durante a Segunda Guerra Mundial, Barbara tenta melhorar a sua imagem pública, dando dinheiro para apoiar as forças militares francesas e doado o seu enorme iate para o governo dos Estados Unidos. Autorizou também que a sua mansão em Londres, Winfield House fosse utilizada pela Força Aérea Real inglesa.
Em 5 de Dezembro de 1940 morre, na Carolina do Sul, o pai de Barbara, Franklyn Hutton com 63 anos, vítima de cirrose hepática.
Vivendo na Califórnia, conhece nessa altura em Hollywood o famoso ator de cinema Cary Grant, nascido Archibald Alexander Leach (1904 — 1986), casando-se a 18 de Julho de 1942.[1] A imprensa trata o casal por Cash&Cary, mas Grant foi o único marido que nunca se interessou pelo dinheiro da mulher, tendo-se aproximado do filho e feito o seu papel de padrasto, dando-lhe até mais atenção que a própria mãe. Grant sempre quis constituir uma família e sabia que Barbara não lhe podia dar filhos. Na altura ele era um astro de cinema e dispendia muito do seu tempo nas filmagens, razão que terá levado Barbara a afastar-se, acabando por se divorciarem amigavelmente em 1945. Grant foi o único marido de Barbara que não recebeu qualquer compensação financeira pelo divórcio e manteve-se sempre seu amigo e do filho Lance.[2][7]

[editar] Igor TroubetskoyCom o fim da Segunda Guerra Mundial em 1945, Barbara vende, pela simbólica quantia de 1 dólar ao governo dos EUA, a sua mansão londrina Winfield House, recebendo uma carta de agradecimento do Presidente Harry Truman.
Em 1946 deixa os Estados Unidos e viaja até Tânger onde adquire um enorme palácio marroquino de nome "Sidi Hosni", tendo para isso dobrado a oferta feita pelo Generalíssimo Franco de Espanha. Nessa casa organiza festas intermináveis e torna-se mais dependente das drogas, combinando pilulas, álcool e haxixe. Alimentava-se muito pouco, parecendo sobreviver unicamente de drogas, café e cigarros.
Tem sorte de nessa altura viajar até Paris e conhecer Igor Troubetzkoy, nascido Igor Nikolaievitch Trubetskoy (1912 — 2008)[1], um príncipe russo expatriado de poucos recursos financeiros mas bem relacionado na alta sociedade. Ele amava Barbara e em 1 de Maio de 1947 casam-se em Zurique. Apaixonado por automóveis, torna-se nesse ano o primeiro a conduzir um Ferrari num Grande Prémio de automobilismo, no Mónaco. Durante o casamento, Troubetskoy tenta diminuir a dependência que a mulher tinha de drogas, mas o que vê são médicos a dar-lhe injeções de vitaminas e a cabeceira da cama cheia de pilulas. Faz então um ultimato, mas Barbara diz-lhe que pretende só um companheiro sem exigências. A convivência entre ambos torna-se insuportável e ele pede o divórcio, que acontece em 31 de Outubro de 1951. Barbara está de novo sózinha e corre a notícia que terá tentado o suicídio. A imprensa cada vez mais se refere a ela como "Pobre menina rica" uma vez que este era já o seu 4º casamento sem sucesso.[7]

[editar] Porfirio RubirosaPorfirio Rubirosa, nascido Porfirio Rubirosa Ariza (1909 — 1965)[1], originário da República Dominicana era um diplomata reformado, jogador de pólo e um playboy de fama internacional, tendo sido casado com a herdeira milionária americana Doris Duke e casos conhecidos com as atrizes Kim Novak, Ava Gardner, Jayne Mansfield e Marilyn Monroe. As suas caraterísticas fisicas e performances amorosas eram lendárias na altura em que Barbara o conheceu e fácilmente se apaixonou por ele. Nessa altura ele mantinha um caso amoroso com a atriz húngara Zsa Zsa Gabor. O casamento com Barbara aconteceu a 30 de Dezembro de 1953 e ela tudo fez para o afastar de Gabor, tendo até comprado tantos fatos que ele rápidamente de tornou um dos dez homens mais bem vestidos do mundo. Também comprou um avião que ele viria a utilizar para se encontrar mais fácilmente com a amante Gabor. Barbara logo percebeu que não seria a mulher exclusiva neste casamento, vendeu o avião e divorciou-se rápidamente de Rubirosa em 1954, dando-lhe 3,5 milhões de dólares.
Este casamento foi o mais curto de Barbara, tendo durado sómente 53 dias.[7]

[editar] Gottfried von CrammO barão Gottfried von Cramm, nascido Gottfried Alexander Maximilian Walter Kurt Freiherr von Cramm (1909 — 1976)[1], era um aristocrata alemão e famoso jogador de ténis. Ele e Barbara eram amigos há anos, tendo ela ajudá-lo a escapar á morte durante o regime nazi, depois de ele ter sido preso devido a acusações de homossexualidade. Reencontram-se durante uma festa organizada por uma amiga comum, reatam a amizade e Barbara, precisando de um ombro amigo, concorda em casar-se com ele, o que acontece em 1955.
Um dia, quando Barbara regressa a casa depois de uma ida às compras, encontra o seu marido na cama nos braços de um homem. Apesar de tentarem salvar o casamento de uma forma adulta, Barbara chega á conclusão que o comportamento do barão não a iria ajudar no momento conturbado desta fase da sua vida e divorciam-se em 1959.[2][7]

[editar] Raymond DoanNo Verão de 1957, Barbara conhece em Veneza James Henderson Douglas III. Desde o primeiro encontro, ficou claro que ele pretendia simplesmente a sua companhia e amizade e assim a acompanhou de forma desinteressada, fazendo o possível para a manter livre das drogas e álcool. Barbara e James viajaram por todo o mundo e esta foi uma boa fase da sua vida. Em 1959 os dois viajam para o México, onde Barbara constrói em Cuernavaca uma mansão japonesa, decorada e com empregados a servir vestidos no estilo japonês. Dá-lhe o nome de Sumiya, conceito japonês que significa paz, tranquilidade, criatividade, saúde e longevidade (atualmente é o Hotel Camino Real Sumiya).[11][12]
Nesta altura, Barbara recebe a visita do seu filho Lance após anos de afastamento em escolas particulares e esse reencontro é desastroso. Lance encontra a mãe num estado deplorável e discutiram de uma forma tão violenta que ele a abandona imediatamente. Neste instante, Barbara percebe como tinha ela própria tinha desperdiçado a sua vida sem o único filho.
Desesperada, volta em 1960 para o seu palácio em Tânger sem Douglas e retoma a sua vida dependente de drogas, alcool, cigarros e festas intermináveis. Nesta altura conhece Lloyd Franklin, um inglês de 23 anos que cantava e tocava guitarra no "Dean´s Bar", muito popular em Tânger. Barbara apaixona-se novamente e embora nunca tenham casado viveram juntos, tendo Franklin recebido muitos presentes valiosos.
Barbara encontrava-se nesta altura muito fragilizada, física e psicológicamente e tornou-se uma presa fácil para dois irmãos que viviam em Tânger.
Raymon Doan, um químico do Vietname organizou um esquema com o seu irmão de forma a conquistar Barbara através de uma série de poemas românticos e cartas de amor. Apesar de avisada pelos seus amigos do interesse financeiro de Doan, Barbara casa com ele em 1964.
Doan era budista e considerava-se um artista, convencendo Barbara a comprar-lhe um título nobiliárquico. Na embaixada do país asiático Laos em Rabat, Barbara compra o título de "Príncipes de Vinh na Champassak". Este seria o último casamento e título para Barbara. O divórcio acontece em 1966 e o Principe Pierre Raymond Doan Vinh na Champassak recebe $2 milhões de dólares.[2][7]

[editar] Estilo de vidaBarbara Hutton foi um ícone da moda do seu tempo. Em 2005, o estilista John Galliano refere Hutton como inspiração para a sua coleção de Primavera e revela - "Ela é fantástica e toda aquela época em que viveu, a sua generosidade, as influências que teve na moda da costa oeste e toda a sua energia positiva".[13] Barbara posou para a revista Vogue e os media estavam sempre atentos às novidades que trazia.
Ao longo dos anos, foi reunindo uma coleção impressionante de jóias e possuiu a mais valiosa coleção de esmeraldas do mundo. Em 1936, pagou 1,2 milhões de dólares por uma coleção histórica de esmeraldas que tinham pertencido a Catarina, a Grande, Imperatriz da Rússia. Adquiriu outras jóias históricas de valor inestimável que tinham pertencido à Rainha Maria Antonieta de França, à Imperatriz Eugénia de França e à Rainha Dª Amélia de Portugal.[14]
Desde 1947 até 1975, Barbara passaou o Verão em Tânger, no seu palácio Sidi Hosni e era conhecida pelos locais como a "Rainha de Medina". As festas que dava eram lendárias, o baile anual que organizava era o evento social da época. A presença na festa era muito cobiçada, Barbara enviava 1000 convites mas só 200 pessoas eram escolhidas, as outras ficavam à porta retidas pelos seguranças. Nestas festas, Bárbara vestia-se com as suas melhores jóias e sentava-se numa espécie de trono, tendo por trás o histórico tapete do século XV que tinha pertencido ao Marajá de Tripura. Este tapete, que Barbara comprou numa viagem à Índia, era bordado a fios de ouro e cravejado de pedras preciosas, diamantes, rubis, esmeraldas e pérolas. Como estas pedras eram ocasionalmente roubadas, Barbara tinha que manter seguranças a vigiar nas festas, além disso em cada quarto da casa havia um relógio de 10 000 dólares da Van Cleef & Arpels. Neste palácio das Mil e uma Noites, Barbara dava festas para amigos e conhecidos de todo o mundo, pagando viagens e hotel. A presença de Barbara foi uma bênção para o turismo de Tânger e ainda hoje, turistas perguntam pela localização do seu palácio. Quando não estava em Tânger nem a viajar, Barbara instalava-se numa suite no Hotel Ritz ou no seu apartamento em Paris, no Pierre em Nova Iorque ou em Sumiya, sua casa em Cuernavaca, México.
Barbara teve, ao longo da sua vida, atitudes de generosidade invulgares, como oferecer a amigos e até mesmo desconhecidos presentes como um Rolls-Royce, um Patek Philippe, jóias, roupas caras e até uma casa.[2]

[editar] Anos finaisEm 24 de Julho de 1972[1] Bárbara recebe a terrível notícia da morte do seu único filho. Lance Reventlow e todos os passageiros, não sobrevivem à queda do avião privado que os transportava no norte de Aspen, Colorado. Barbara fica num estado tal de desespero e angústia que nem comparece às cerimónias fúnebres do seu filho. A partir daqui precisa cada vez mais das drogas para viver e aparece por vezes alcoolizada em público, gastando o seu dinheiro de forma descontrolada. Relaciona-se com homens mais novos e pessoas desconhecidas, a quem dá dinheiro, pulseiras de diamantes e outras jóias valiosas. A sua fortuna diminui consideravelmente, devido a gastos excessivos e alegados negócios duvidosos por parte do seu advogado de sempre, Graham Mattison. Por último, chega ao ponto de ter que vender o seu património para poder sobreviver. As suas propriedades e jóias são vendidas por uma fração do seu preço. Pede aos seus criados para procurarem as pessoas a quem tinha oferecido jóias para as reaver. Poucas devolveram.
No verão de 1975, Barbara faz a sua última visita a Tânger, onde tinha fixado residência legal por motivos fiscais. Vive os seus últimos anos numa suite de quatro quartos no luxuoso Regent Beverly Wilshire Hotel, em Beverly Hills, já com a sua saúde bastante debilitada. Por vezes aparecia no bar e conversava com as pessoas, dando por vezes uma jóia em reconhecimento da sua atenção.


Mausoléu da família Woolworth, no cemitério de Woodlawn, Bronx, Nova Iorque (2008).Entretanto, a sua saúde vai piorando até que fica imobilizada na cama, precisando de criadas para a alimentarem e cuidarem da sua higiene pessoal. O seu ex-marido Cary Grant é dos últimos amigos a visitá-la.

Bárbara morre de ataque do coração em Los Angeles, a 11 de Maio de 1979, com 66 anos de idade.
O seu testamento é executado e faz-se um discreto leilão dos poucos bens que sobraram. Na altura da sua morte, restavam no banco apenas $3 500 dólares da sua fortuna.
A cerimónia fúnebre teve lugar em 25 de maio, foi privada e sem a presença da imprensa. Participaram apenas dez pessoas, entre amigos e familiares. Entre eles, a sua prima Dina Merrill e o seu marido na altura Cliff Robertson, que leu um poema de Barbara intitulado The Enchanted (A Encantada).

Barbara Woolworth Hutton está sepultada no mausoléu da família Woolworth construído pelo seu avô, no cemitério de Woodlawn, no Bronx, Nova Iorque, junto dos seus avós, mãe e filho.Fonte/ Wikipédia.